Quando repetir roupa é atitude política

Quando repetir roupa é atitude política

Por Márcia Flau

Esta é a primeira edição do blog da AICI Portugal. Toda semana, uma associada ou convidado irá comentar temas relacionados à moda, consultoria de imagem, beleza, economia, negócios, empoderamento feminino, e tudo o mais que nos mova e influencie o espírito da nossa época.

O assunto selecionado para abertura é a repetição de roupas como posicionamento da marca pessoal. Não falarei de princesas ou influencers, mas de mulheres que conquistaram  posição de relevância pelas suas carreiras: Kamala Harris e Nancy Pelosi. Ambas foram assunto em jornais, revistas e posts nas redes sociais porque repetiram looks.  Vestidas para o poder, elas marcaram pelo que suas escolhas de moda anunciaram.

A então candidata à vice presidência, Kamala Harris, passou a campanha repetindo o trio blazer/tênis/máscara. “Eu estou no jogo. Estou confortável no poder. Sou como você, eleitor(a). Uso máscara porque acredito na Ciência.”

Nancy  Pelosi, vestida para impeachment. A líder da maioria na Câmara dos Comuns repetiu a roupa que usou ao anunciar o primeiro impedimento de Trump. A atitude foi imediatamente assinalada nas redes sociais como um fashion statement.  Seu vestido escuro disse: “De novo, estamos aqui para impedir um presidente que não representa o modo americano.” Desta vez, de máscara, Pelosi reafirmou a confiança democrata na Ciência.

As duas mulheres mais poderosas da América sabem o valor simbólico do que vestem. Kamala Harris, na declaração da vitória, vestiu branco, reafirmou a importância das mulheres nos processos eleitorais, lembrando da luta das sufragistas. Nada é aleatório. E nunca deve ser. Na posse, envergou criações de designers americanos, reforçou o apoio à indústria da moda. A repetição do roxo e do azul na posse representavam conciliação.

A Consultoria de imagem é multidisciplinar, trabalha com a linguagem não-verbal no binômio postura+vestimenta. Antes de responder à cliente com que roupa ela pode ir, devemos ajudá-la a pensar no que ela quer dizer e a quem ela endereça seu discurso. É o background de moda e informações de outras áreas que tornam esse trabalho uma necessidade social. Então, decidir repetir uma roupa pode ser, sim, uma atitude política.